W RUN THE FINISHER NUTRIÇÃO TREINO SABER VIVER PRODUTOS VÍDEOS FOTOS CALENDÁRIO BLOGS FÔLEGO

CONTEÚDO EXCLUSIVO

Insira seu email abaixo e clique em "Enviar". Você receberá sua senha no email indicado.
Email:

Entre com o seu cadastro do Sua Corrida.

Email:
Senha:
OU

Ainda não é usuário do nosso conteúdo exclusivo?

Caminhada e corrida para perder 23 kg

Carolina Rodrigues Lima da Cruz engordou depois da gravidez e resolveu mudar para sair dos 83 para os 60 kg

Por: Olavo Guerra - São Paulo - 11/09/2014
Compartilhe
perda-peso-carol

Fotos: Arquivo pessoal.

“Você está com obesidade grau I”. Quando o médico disse essas palavras para a administradora Carolina Rodrigues Lima da Cruz, de 27 anos, seu mundo desabou. “Quando mais nova, eu fui modelo. Como poderia estar obesa?”, se questionava. “Saí chocada do médico, mas determinada a mudar.” Com 83 kg na época, Carol tinha vários problemas a incomodando. “O fato de não caber em apenas um banco do ônibus, as assaduras, o excesso de calor, as dores na coluna e nos joelhos… Tudo isso me irritava. Fora aquela depressão que sentia ao me olhar no espelho ou em alguma foto”, lembra. “Eu não me admitia daquele jeito.”

Para entender melhor a situação da administradora, é preciso voltar no tempo. “Quando era mais nova, jamais havia chegado aos 60 kg. Sempre fui magra”, comenta. “Mas aí, veio a faculdade e, em seguida, minha gravidez. Engordei 12 kg e tive depressão pós-parto, o que me fez chegar aos 83 kg.”

Ao sair do médico que anunciou sua obesidade, Carol decidiu fazer uma reeducação alimentar. “Essa parte foi, relativamente, simples. Embora, para todo gordinho, ainda assim é muito difícil”, brinca. “De cara, cortei as frituras, refrigerantes e doces e passei a me alimentar de forma fracionada, de três em três horas.” Além disso, ela realizou algumas trocas no seu cardápio, como o pão normal para o integral. “Reduzi o tamanho dos pratos do almoço e jantar que, por sinal, costumava repetir. Ou seja, eram duas pratadas de peão mesmo!” Opções saudáveis, como frutas, verduras e legumes, também passaram a fazer parte da sua rotina. “Um grande dificuldade que tive que superar é que tenho enxaqueca e a fome é um dos motivos que faz com que o problema ataque. Eu bebia água gelada o dia todo pra inibir o apetite.”

Aliada à mudança na alimentação, Carolina começou a caminhar. “Levava e buscava minha filha na creche a pé”, diz. “De vez em quando, arriscava uns piques de corridas, mas eu não aguentava. Forçava muito as articulações.” Ao todo, ela caminhava cerca de 7 km por dia.

Foram nove meses nessa rotina mais saudável e o resultado, obviamente, apareceu. “Consegui eliminar 19 kg apenas com as caminhadas até a creche e a reeducação alimentar”, exalta.

Animada com a drástica mudança do seu corpo, a administradora procurou um educador físico, pois queria correr. “No começou, alguns metros já eram o suficiente pra eu botar a língua pra fora. Aí, em um percurso de 4 km, meu treinador disse, no meio do caminho, se eu queria voltar. Respondi que ia até o final, nem que fosse arrastada!”

Com toda essa determinação, Carol queimou mais 4 kg, totalizando 23 kg – dos 83 para os 60 kg. Hoje, além da corrida, ela faz muay thai e trilhas. Para quem, assim como a administradora, aí vai a dica. “Começar com a caminhada é essencial para não prejudicar as articulações. Invista nos exercícios aeróbios e, se possível, consulte-se com um nutricionista para melhorar sua alimentação. Se você seguir isso direitinho, em três meses já será uma nova pessoa”, garante. “Ser elogiada pela minha mudança é gostoso para o ego, mas é muito bom estar de bem com o espelho.”

Obrigado por avaliar esta matéria.
187 pessoas deram uma medalha para esta matéria.
Esta matéria merece uma medalha?
Compartilhe

MATÉRIAS relacionadas

NOSSOS BLOGS

TAGS
NEWSLETTER
EVENTOS
próximo evento VENUS 15K RJ 09 DE OUTUBRO