W RUN THE FINISHER NUTRIÇÃO TREINO SABER VIVER PRODUTOS VÍDEOS FOTOS CALENDÁRIO BLOGS FÔLEGO

CONTEÚDO EXCLUSIVO

Insira seu email abaixo e clique em "Enviar". Você receberá sua senha no email indicado.
Email:

Entre com o seu cadastro do Sua Corrida.

Email:
Senha:
OU

Ainda não é usuário do nosso conteúdo exclusivo?

Você já ouviu falar em neurocoaching?

A técnica tem como objetivo garantir uma mudança positiva no jeito de lidar com as emoções e a comida

Por: Juliana Mesquita - São Paulo - 22/06/2017
Compartilhe

neurocoachingVocê é daquelas pessoas que descontam as emoções na comida? Ansiedade, medo, felicidade… Seja qual for seu estado de espírito, a saída é sempre atacar um brigadeiro, um hambúrguer ou uma pizza? Como você deve saber, isso pode colaborar bastante para o ganho de peso e, de quebra, prejudicar o desempenho nos treinos.

No entanto, existem técnicas que podem ajudar você a lidar melhor com seus sentimentos e evitar que eles interfiram na alimentação. Uma delas é o neurocoaching: “Esse é um método de assessoria que acompanha o paciente a um estado mental que lhe permita fazer mudanças em si mesmo, de forma que seja possível conhecer as causas, relações e envolvimento emocional com a dieta. Para isso, são usadas técnicas de coach e neurociência que mapeiam as emoções. E também há toda a orientação nutricional”, explica Leandro Rhein, especialista em neurocoach.

Nesse treinamento, há uma análise inicial feita pelo especialista com testes de neurociência, onde é determinado o tipo de compulsão alimentar e a relação de cada paciente com a comida. A partir dessa avaliação, o profissional indica o melhor tratamento, que pode ser baseado em exercícios de meditação de atenção plena, de autoanálise emocional e até mesmo a análise de respostas a questionários específicos. “Essa metodologia auxilia o aprimoramento de capacidades diversificadas e o desenvolvimento de novas habilidades. Uma vez que a pessoa inicia o treinamento mental para o emagrecimento, são aplicadas algumas técnicas de autopercepção dos quadros de ansiedade, que normalmente levam a autossabotagem e, consequentemente, ao exagero alimentar. O processo ajuda a reorganizar os conhecimentos e a recuperar informações”, frisa Rhein. O próprio profissional se submeteu às técnicas. Ele, que pesava 145 kg, perdeu 70 kg em um ano.

MAIS
Você não consegue ficar sem doces? Saiba o motivo
8 “alimentos saudáveis” que sabotam a dieta
17 nutrientes essenciais para quem corre

De acordo com Rhein, além de muitos benefícios no processo de emagrecimento, o método ajuda a pessoa a manter uma vida saudável, proporciona uma melhora significativa na autoconfiança e, sobretudo, faz com que ela aprenda a não misturar emoções e comida, evitando, assim, o tão temido efeito sanfona. “O treinamento aplicado junto à orientação nutricional disponibiliza ferramentas e chaves mentais para aumentar a sua concentração e foco. Contribui para eliminar distrações, melhorar sua atitude, resistência, consistência, agilidade, velocidade etc.”, complementa Leandro.

A duração do tratamento varia de paciente para paciente, mas é possível perceber as diferenças já no primeiro mês. “Os ciclos de atuações são de 21 dias. Depois desse período, os estímulos são trocados, porém a pessoa já consegue notar resultados nas suas ações e atitudes”, finaliza Leandro.

 

Obrigado por avaliar esta matéria.
11 pessoas deram uma medalha para esta matéria.
Esta matéria merece uma medalha?
Compartilhe

MATÉRIAS relacionadas

NOSSOS BLOGS

TAGS
NEWSLETTER
EVENTOS
próximo evento VENUS 15K RJ 09 DE OUTUBRO