W RUN THE FINISHER NUTRIÇÃO TREINO SABER VIVER PRODUTOS VÍDEOS FOTOS CALENDÁRIO BLOGS FÔLEGO

CONTEÚDO EXCLUSIVO

Insira seu email abaixo e clique em "Enviar". Você receberá sua senha no email indicado.
Email:

Entre com o seu cadastro do Sua Corrida.

Email:
Senha:
OU

Ainda não é usuário do nosso conteúdo exclusivo?

Peixe enlatado?

A lata de aço conserva todas as propriedades nutricionais do pescado e por mais tempo – sem necessidade de conservantes ou aditivos químicos

Por: Redação - São Paulo - 22/01/2014
Compartilhe
Foto: Thinkstock.

Foto: Thinkstock.

Não pode faltar peixe em uma dieta balanceada, pois suas gorduras “do bem” ajudam a diminuir o nível do colesterol, prevenir doenças cardiovasculares e ativar a memória. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, elaborado pelo Ministério da Saúde, a recomendação é que o pescado seja consumido pelo menos duas vezes por semana.

Mas essa está longe de ser a realidade do brasileiro. A Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2008/2009 revelou que o consumo anual de peixe é de 9 kg por habitante, sendo que o ideal, segundo o Ministério da Saúde, são 12 kg.

Um dos motivos para o baixo consumo pode estar relacionado à dificuldade de preparo. Ao comprar o peixe fresco, é necessário limpá-lo e, em alguns casos, retirar as escamas. Por isso, uma alternativa mais prática – e ao mesmo tempo saudável – são o peixes enlatados, como o atum e a sardinha.

Se você desconfia desse tipo de produto, saiba que há vantagens em consumi-lo. No caso da sardinha, por exemplo, a espinha – rica em cálcio, mas normalmente retirada quando o peixe é comprado in natura – é cozida dentro da própria lata de aço. Neste caso, ela pode ser consumida, pois fica mole, fácil de mastigar, engolir e digerir.

A lata de aço também preserva todas as propriedades nutritivas e o sabor do alimento, sem que haja necessidade de conservantes ou aditivos químicos. “O pescado, quando conservado em óleo de soja ou em azeite na lata, não tem seus nutrientes dissipados”, garante Thais Fagury, engenheira de alimentos e gerente executiva da Associação Brasileira de Embalagens de Aço (Abeaço). “Isso porque o processo de preparo é diferente. O peixe é colocado cru dentro da lata e, depois de ser hermeticamente fechada, a embalagem é levada para fornos em altas temperaturas, garantindo a preservação dos nutrientes, como o ômega 3”, explica.

O tempo de conservação dos peixes enlatados é outro diferencial. Peixes congelados duram no máximo seis meses, enquanto a versão enlatada até dois anos.

Obrigado por avaliar esta matéria.
25 pessoas deram uma medalha para esta matéria.
Esta matéria merece uma medalha?
Compartilhe

MATÉRIAS relacionadas

NOSSOS BLOGS

TAGS
NEWSLETTER
EVENTOS
próximo evento VENUS 15K RJ 09 DE OUTUBRO